quarta-feira, 29 de abril de 2009

Jesus X Cinderella




























...Em verdade vos digo...Estava pensando aqui com os meus botões, sobre a esperança, sobre esta coisa de ser salvo,e pércebi uma grande semelhança entre Jesus e o prícipe da cinderella, vi também que muitasreligiões, santos e profetas sempre apareciam,em momentos que o povo estava em aflição e sofrimento, e as profecias sempre clamaram a chegada de um salvador.bom se temos um povo, escravizado, por outro povo..temos ai um número grande de pessoas..e o herói é um só!( será q por isso q ele é herói?), bem..mas o que mudaria então este pobre mancebo?A IDÉIA, e Jesus no caso, tinha uma idéia simples e clara, direta e genial..o Amor...mas naum era essa salvação q eles queriam..( o povo tava f..e ainda escolhia como queria ser salvo....).Mas..para muitos a salvação chegou, mas ai penso...foi Jesus q salvou, que curou?..Ele sempre dizia " foi tua fé que te curou.."Logo entendo..q a cura já existia ali...e a pessoa acreditou e se curou..E mais, será que então agora neste exato momento, a cura para nossas dores e sofrimentos,já estão aqui mesmo e a gente fica esperando, um salavador, um milagre?..Pra encurtar, cinderela..tava lá zuada pelas irmãs e madrasta..e ficava sonhando com o taldo pricipe até q ele apareceu e foram felizes para sempre....dãããã..1 de abril!!!..kkkk...Será q ela antes de sonhar com isso nunca pensou em sair de casa, ela mesma contruir a felicidade dela?..trabalhar...sair, conhecer pessoas?...hmm..hoje ..a gente ainda faz isso..põe na mão de estranhos a resposabilidade de nos fazer felizes, esperamos forças e milagresexternos, sendo que nós já somos um milagre em si, e que dentro de nós existe aquele Cristosalvador, e de uma forma bem direta somos apoiados por Ele e por Deus e tooodo o UniversoChega de esperar...cinderela nunca existiu muito menos o pricipe e Jesus nunca voltará...porque Ele nunca foi, e esta aqui e agora.Deixo aqui algumas imagens para sua apreciação.Eu as olho toda vez q me sinto fraco e desanimado, procuro me achar no meio delas...e penso:"Nossa como sou pequeno, praticamente uma bactéria, infima matéria, sou pequeno mas naum sou insignificante, faço parte disso ai, e sei q tenho o meu lugar garantido,minha função e responsabilidade,sim faços parte de algo grande....muito grande..."olhe vc mesmo..abraço


Esta é nossa casa...olha ali a gente ...viu? se encontrou ?



Pequenas Verdades Pessoais

Mentia descaradamente para si mesmo.
Era a forma de também se esconder das obrigações de aprender isso ou aquilo.
Também ficava mais suave para viver os eternos conflitos sociais. Não eram os
conflitos sobre racismo, política ou religião, mas essas pequenas feridas que nossa
sociedade resolve manter aberta.

E as mentiras que ouvimos desde pequeno?

-Você não sabe isso. Jamais vai aprender aquilo.
- Você, você, você.

Sou tudo isso que a sociedade me faz pensar ser, ou será que posso ser único e
insubstituível sendo apenas o que aprendi até agora, e me esforçar em ser mais?

Sim! Nós sabemos as respostas, nós somos e podemos ser aquilo que queremos. Talvez seja a melhor forma de estar sempre em evolução.

Dedico este texto em especial a minha mãe, que se esforça diariamente para vencer as mentiras do tempo de criança quando estudava e agora vence de forma significativa a volta aos estudos.

terça-feira, 28 de abril de 2009

Mentiras, verdades...

por Cako Luiz

A vida se transforma,
e nos transforma.
Muda nossos rumos
Traça novos caminhos
Altera nossos destinos
Nos prega peças!!

E nos caminhos diferentes
sempre nos reencontramos.

Amigos ausentes...
"Amigos?!?"
Desenganos!

E nas mentiras, prevalece uma verdade
Que não deve ser dita...
nem revelada!
Guardada!

Deve-se viver...
Sobreviver...
Mentir...
Omitir...

Sentimentos!

Enfim,
Recordações perdidas,
Vivendo precioso presente,
Deixando o tempo fluir
E o futuro que há de vir
Rirá de nós amanhã!

E nessa verdade, deixar a mentira transparecer!
e viver mesmo sem saber o porque!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Nossas mentiras



As mentiras fazem parte de nossas vidas, podem nos levar a caminhos diversos, nos tornar prisioneiros ou simplesmente cúmplices. Pode-se acreditar na mentira, praticá-la ou tão somente desprezá-la.Os cantores e compositores também usufruem desta temática, selecionei uma música que fala sobre a mentira como obstáculo para um relacionamento. Versão original em inglês, composta e interpretada por Glen Hansard. A música faz parte da trilha sonora do simpático filme irlandês Apenas Uma Vez(Once).

Lies (Glen Hansard)

I think it's time, we give it up And figure out what's stopping us
From breathing easy, and talking straight
The way is clear if you're ready now

The volunteer is slowing down And taking time to save himself
The little cracks they escalated And before
you know it is too late For making circles and telling lies
You're moving too fast for me And I can't keep up with you

Maybe if you slowed down for me I could
see you're only telling Lies, lies, lies
Breaking us down with your Lies, lies, lies When will you learn

The little cracks they escalated And before
you know it is too late
For making circles and telling lies

You're moving too fast for me And I can't keep up with you Maybe if you'd slowed down for me I could see you're only telling Lies, lies, lies
Breaking us down with your Lies, lies,
lies When will you learn So plant the thought and watch it grow Wind it up and let it go

TRADUÇÃO

Mentiras

Acho que é tempo de desistirmosE descobrir o que está nos impedindo
De respirar facilmente e conversar direito
O caminho é claro se você está pronto agora O voluntário está se acalmandoE tirando um tempo para salvar a si mesmo

As pequenas fendas eles escalaram
E antes de você saber que é muito tardePara fazer círculos e dizer mentiras
Você se move rápido demais para mimE eu não consigo acompanhar você
Talvez se você diminuisse o passo pra mim

Eu pudesse ver que você só está dizendo Mentiras, mentiras, mentiras
Nos separando com suasMentiras, mentiras, mentirasQuando você vai aprender?
As pequenas fendas eles escalaramE antes de você saber que é muito tarde
Para fazer círculos e dizer mentiras

Você se move rápido demais para mimE eu não consigo acompanhar você
Talvez se você diminuisse o passo pra mim
Eu pudesse ver que você só está dizendoMentiras, mentiras, mentiras
Nos separando com suasMentiras, mentiras, mentirasQuando você vai aprender?
Então plante o pensamento e assista-o crescer Sopre-o e deixe


domingo, 26 de abril de 2009

Música - 003

Gira o mundo...

Há algumas semanas comprei uma placa 3G. Por incrível que pareça, antes disso não tinha acesso à internet para fins pessoais. Trabalho com internet há anos e sempre a encarei com certa restrição, talvez pelo fato dela me lembrar muito o ambiente do escritório. Evitava-a completamente em outros ambientes. Com a placa e a responsabilidade de pesquisar bons sons e publicar aqui, essa história mudou um pouco. Aliás, mudou tudo.

Passo dias baixando e ouvindo músicas e fico um pouco abismado com o mundo de possibilidades que essa ferramenta traz. E não falo apenas de capacidade logística (downloads) infinitamente maior que teríamos a alguns anos, mas também na capacidade de conhecimento. Talvez minha constatação seja tardia e possa até estar chovendo no molhado, mas não poderia deixar de fazê-la antes de justificar a escolha da pauta dos próximos posts.

Sou um grande curioso, como todo bom geminiano, e me sinto obrigado a olhar tudo que eu imagine que exista. O que está obviamente exposto eu olho também, mas adoro descobrir o que está do outro lado, embaixo, em cima, um pouco mais pro canto, enfim, tudo.

Enquanto estava ouvindo algumas bandas para planejar as próximas colunas, apareceu no meu winamp uma banda japonesa de jazz/rock bastante interessante. Olhei para o restante da lista e só vi nomes brasileiros e americanos. Alguns ingleses, no máximo. De repente me passou pela cabeça que talvez pudesse existir música em outros lugares do mundo. Hehehehe... Googlei, e não é que existia mesmo! Rock no Japão, R&B afro-francês e outras coisas beeeeeeeeem diferentes.

Estou escutando muita coisa e com bastante calma, até para dar uma filtrada e, a partir desse post, gostaria de dividir com vocês algumas gratas surpresas.

----------

Tokyo Jihen

Álbum: Otona

“Tokyo Jihen”, ou “Tokyo Incidents”, com certeza não é a banda de maior sucesso do Japão, apesar de dispor de uma base de fãs consideravelmente grande. A banda é o resultado da fusão entre uma cantora famosa e sua banda de apoio. Fato bem esquisito não fosse Shiina Ringo a responsável pela iniciativa. A cantora, conhecida pela sua excentricidade, resolveu, ao final da turnê de sua carreira solo de 2003, ser apenas mais uma na banda, dando assim, vazão para a capacidade criativa da turma que antes simplesmente a acompanhava.

Após uma primeira fase conturbada, com direito a troca de parte dos membros, o Tokyo Jihen consegue construir uma identidade sonora e se firmar como destaque na cena do rock japonês. O amadurecimento dessa segunda fase resulta no álbum “Otona”, ou “Adult”, que consegue mesclar, com equilíbrio, todas as influências sofridas por eles e, ainda assim, ser comercial.

Após acostumar o ouvido com a língua japonesa sendo cantada, você mergulha numa experiência bastante única. Imagine pegar do Jazz o virtuosismo instrumental, a criatividade e as harmonias ricas (como estamos acostumados a ouvir na nossa MPB). Do Rock, a energia e a irreverência. Acrescente a tudo isso uma pitada de batidas eletrônicas e você terá os sons que a galera do Tokyo Jihen propõe nesse álbum.

Existe um equilíbrio claro entre as músicas que poderíamos chamar de “dançantes” e as que classificaríamos como “baladas”. Mas não espere ouvir um violão chamando um refrão grudento, ou algo do tipo, quando usamos esse termo. Até mesmo as músicas “mais lentas” são bem trabalhadas e trazem alguma referência ao Jazz ou até mesmo a música clássica.

Para saber mais:

Grande parte do material sobre eles está em japonês, mas tem uma breve descrição sobre eles no wikipedia (inglês):

http://en.wikipedia.org/wiki/Tokyo_Incidents

Para ouvir e ver:

01 - Himitsu (http://www.youtube.com/watch?v=N7O-IDGXRgE)
02 - Kenka Joutou (http://www.youtube.com/watch?v=ru-ciyUAZFI)
03 - Keshou Naoshi (http://www.youtube.com/watch?v=N3ZFymcEdWA)
04 - Super Star (http://www.youtube.com/watch?v=U0j6gFAO1cQ)
05 - Shuraba - Adult Version (http://www.youtube.com/watch?v=1wVT-ZtmPQ4)
06 - YukiGuni (http://www.youtube.com/watch?v=CIjRSNNfiQU)
07 - Kabuki (http://www.youtube.com/watch?v=fvbLLfF_Us8) – Cada um faz um solo!
08 - Blackout (http://www.youtube.com/watch?v=edAS_8vTBJI)
09 - Tosogare Naki (http://www.youtube.com/watch?v=fAVALFNwB98)
10 - Toumei Ningen (http://www.youtube.com/watch?v=uBuf8nV_k_4)
11 - Tegami (http://www.youtube.com/watch?v=_17RuIe3YGI)

Para baixar:
Consulte-nos! hehe


Caso você conheça uma “boa banda desconhecida”, mande-nos o nome ou algum material. Qualquer outra sugestão, dica, crítica, nos procure!

Próximo Post:
Les Nubians


Mullinari___________
04 17 18 25 83 99 ??


quinta-feira, 23 de abril de 2009

Novo Acordo Ortográfico: Dificuldade para professores e alunos??



O novo acordo privilegia a fonética, aproximando a língua escrita da língua falada; no que toca às diferenças orais e gramaticais, permanece tudo na mesma, quer em Portugal como no Brasil; como a ortografia vai ficar muito semelhante à forma como falamos, os alunos vão errar menos. Com o acordo, pode-se verificar que a língua está em constante evolução, bem como algumas mentalidades, porém, nota-se que vai existir uma certa dificuldade em implementar o acordo em determinadas camadas sociais; em contra partida, nas escolas não vai haver algum período de transição e isso vai fazer com que a mudança dos manuais escolares, gramáticas e dicionários tenha de ser feita de imediato; o novo acordo não vai integrar alterações trazidas pelos países africanos, sendo as mesmas viradas para Portugal e Brasil.
O mundo muda. Tudo, um dia, evolui. Chegou a hora da nossa língua. Se nada disso acontecesse, ainda estaríamos falando e escrevendo “vossa mercê”. Hoje usamos o “você”, e é bem provável que o “vc” não esteja tão distante da incorporação.

É estranho dois paises falarem a mesma língua e usarem grafias diferentes. Segundo José Luiz Fiorin, professor de lingüística da USP, a montagem de documentos internacionais tem de ser feita nas duas ortografias, brasileira e portuguesa.

O Acordo foi proposto como forma de simplificar e padronizar a língua portuguesa, já que ela é falada por mais de 215 milhões de pessoas, ou seja, é a quinta língua mais falada no mundo. Assim como a língua inglesa é padrão e referência no mundo inteiro, o português terá seu padrão a ser seguido em todos os países que falam a língua de Camões. É uma estratégia de driblar o espaço e o tempo, responsáveis pelas milhares de variações que podemos encontrar na análise dos textos ao redor do mundo.

O linguista Marcos Bagno escreve um excelente artigo em seu site destacando a importância política do acordo. Ele prefere a expressão acordo ortográfico à reforma ortográfica, pois não ocorrem mudanças radicais, uma vez que só houve alterações em cerca de 0,5% das palavras do português falado no Brasil.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), haverá um período de transição entre 2009 e 2011 (ou seja, permitindo as duas grafias como corretas) para todas as adaptações possíveis da ortografia, incluindo editoras, currículos escolares, vestibulares, concursos públicos e demais recursos usuários da língua portuguesa.

O acordo deve ir para a frente, principalmente para mostrar às mentes mais conservadoras, que a mudança traz sempre algo de bom, podendo assim alterar um pouco a maneira como vemos o mundo e principalmente aproximar-nos dos países lusófonos.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

ATREVA-SE!

Esta semana vou postar um pequeno vídeo, que por si só diz tudo: ATREVA-SE!

É bom lembrar que o “não” a gente já tem como resposta, antes mesmo de perguntar...

Se nos atrevermos, sempre existe a possibilidade de recebermos como resposta um “sim”...

Existe a possibilidade das coisas maravilhosas acontecerem...
De conseguirmos!
De vencermos!

E se por acaso, ainda assim, recebermos um “não”, é bem provável que o caminho a seguir não seja este que escolhemos...

Que algo melhor esteja preparado...


Como no caso daquele devoto que em suas orações a Deus, dizia:

- Ó Deus... Oro a ti todos os dias, sou caridoso, devoto... Procuro dar o melhor de mim e mesmo assim o senhor não responde às minhas súplicas...

Ouve-se então uma voz muito forte, vinda dos céus, que dizia:

- Porra meu! Eu te respondo sim... É você quem não escuta... A resposta às suas súplicas é “não”!!!

Beijo ENORME


video

sábado, 18 de abril de 2009

...a verdade que é ser Gente Grande

Utilizarei desse espaço para contar em míudos a verdade do que é ser Gente Grande nos dias de hoje, através de um dos Maiores Sábios da História em Todos os Tempos...o Grande, mas Pequeno Príncipe, que uma vez me disse assim:

"As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: "Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que coleciona borboletas?" Mas perguntam: "Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?" Somente então é que elas julgam conhecê-lo. Se dizemos às pessoas grandes: "Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado..." elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma idéia da casa. É preciso dizer-lhes: "Vi uma casa de seiscentos contos". Então elas exclamam: "Que beleza!"


Antoine de Saint-Exupéry


...Bons Ventos...

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Verdades e Mentiras....


Entre o claro e escuro...na passagem de um para o outro...as palavras se perdem..
mentiras e verdades, são meios e objetivos,
onde muitas vezes o sincerismo mapeia as relações, onde um lado conta toda verdade do mundo, é a verdade em pessoa,
pronto pra cobrar do outro suas entranhas, e até o direito de acusa-lo, das suas mentirinhas brancas e do fato de ser humano, ahahahah, grande mentira essa, queremos ser alguém...mas sempre, sobre o outro..mas ainda não entendi...querer ser alguém...uai, e quem sou eu ?nesse exato momento? será que sou uma coisa?
Pronto confundi tudo, mas ser humano é humano mesmo, só a gente mesmo pra ficar querendo..querendo e nessa..acaba criando a maior das mentiras.....a mentira de si mesmo...o pior que o ser acredita, e mentira pior é aquela q até o mentiroso acredita...
Mas, falando de verdade, sobre a verdade, hmmm esqueci q eu ia escrever..( já sei vc acabou de pensar: "se esqueceu, é pq era mentira".., a verdade, é um momento mágico na vida deste ser humano, porque, quando ele resolve ser e falar a verdade, é como vislumbrar a luz no fim do túnel...se torna íntegro e pleno, mas com todo peso e resposabilidade sobre seus atos e pensamentos e sentimentos, por fim, torna-se dono de si mesmo..
Só me resta dizer.. que este não sou eu, pelo menos por enquanto....

terça-feira, 14 de abril de 2009

Marolas.....

"Lá fora, a crise é um tsunami.
Aqui, se chegar, vai ser uma marolinha".

(Lula em reportagem sobre a crise dos EUA.)

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Omissos


Na noite de despedida, nenhuma palavra, apenas anseios escondidos.

Ele lhe desejou boa sorte, enquanto pensava na saudade que já sentia.

Com um aperto no peito, ela retribuiu com um sorriso, teve vontade de chorar.

Ele confessou que a ventura foi até divertida. O coração batia forte, tentou disfarçar as mãos trêmulas.

Ela o abraçou e disse: “Não poderia ter sido melhor, sem cobranças, sem compromisso e sem envolvimento”

Cruzaram esquinas opostas, cada qual com um “eu te amo” preso na garganta.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Lulinha Solidario



quarta-feira, 8 de abril de 2009

Educação, mostra a tua cara!



“Nunca, na história desse país,” eu ouvi tanta mentira a respeito da Educação.
O Ministério da Educação (MEC) atribui a 4,2 milhões de alunos brasileiros do Ensino Básico (15% do total) um Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) que não reflete, de fato, a qualidade de sua aprendizagem. Eles estudam nas 88 mil escolas rurais do país (45% do total). As turmas de 4ª e 8ª séries desse mundo não fazem a Prova Brasil, como ocorre com os colegas das áreas urbanas. O resultado da Prova é o principal objeto qualitativo do procedimento de cálculo do IDEB. Por isso, localidades onde o ensino rural é dominante podem estar com o índice inflacionado por notas que consideram apenas a minoria urbana. Essa distorção as tira da lista de municípios prioritários do MEC e as priva dos investimentos e ações emergenciais que vêm sendo realizadas.

O governo mente ao veicular nos meios de comunicação que o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação) cresce a cada ano. Há, no mínimo, inverdade nesta afirmativa. Como se pode dizer que o analfabetismo do país está caindo se – aconteceu comigo! – numa sala de 8ª série existem alunos que perguntam como se escreve o próprio nome? Outra vez, um aluno de onze anos alegou em sala não saber pronunciar seu sobrenome? Infelizmente, o que temos em mãos é um problema sério que as autoridades fazem questão de mascarar para a sociedade. Além disso, há ainda outro agravante: são as redes de televisão e sua programação pobre e apelativa, que trazem uma informação pronta e acabada, sobre a qual, na maioria das vezes, não é possível exercer uma análise crítica. Isto empobrece a capacidade de pensar. A TV é a maior concorrente da aprendizagem. E por que o governo não proíbe certos programas? Porque é mais fácil controlar quem não tem capacidade de criticar, analisar, pensar, o que facilita a alienação. Ou seja, é mais interessante, do ponto de vista do poder, governar uma nação de analfabetos funcionais que uma nação de pensadores.

A falta de compromisso dos pais com a escola é outro problema. Jogaram para nós (professores) a responsabilidade de educar 100% seus filhos. Digo sempre: A educação formal vem da escola e a educação moral vem de casa! Não é obrigação do professor dar ao aluno a educação que deve vir do berço. Casa é casa e escola é escola. Cada um tem seu papel. Mas é isso que os pais e a sociedade esperam. Muitos pais agem assim por que atropelaram fases da vida e foram pais muito cedo, sem viver sua infância e adolescência. Não amadureceram o suficiente para isso e hoje criam seus filhos da mesma maneira que foram criados. O papel da escola é formar para o mundo, é formar cidadãos, com uma educação baseada nos valores da ética, cidadania e respeito. Mas, sem querer adotar uma postura reacionária, qual é a criança que não precisa de uns tapinhas ou de um bom castigo para ter bons modos? E quem, além da família, pode dar esses tapinhas?
A família é à base da sociedade, mas, infelizmente, as novelas globais – como ficou demonstrado pela mais recente pesquisa sobre comportamento familiar desenvolvida pelo Banco Mundial – veiculadas no Brasil, que desde a década de 60 se encarregaram de desfazer essa base, mostram (erroneamente) que importante mesmo são coisas do tipo: ter filhos sem marido, criá-los sem regras nem limites, dar a eles tudo o que querem, que divórcio ou a crise da traição entre os pais são coisas normais, além do culto ao corpo, ao dinheiro e ao sexo, entre outros fatores. Isento-me aqui de qualquer culpa, pois, todo tipo de recurso que esteja ao meu alcance eu utilizo e nada muda. Com os colegas vejo a mesma situação.
Na sua maioria, os alunos continuam sem interesse. Já ouvi relatos de alguns que falaram que só vão para a escolar por causa do Bolsa Família, ou para namorar, ou por não terem o que fazer em casa, ou ainda por causa da merenda servida. Já tive de retirar da sala de aula alunos menores de idade embriagados. É uma situação que não se assemelha, nem de longe, ao que se quer passar através da mídia sobre a educação no Brasil. Claro que há outras realidades, em contrapartida, que se equiparam à educação de primeiro mundo. Mas nas faixas carentes do nosso país, a situação é semelhante a esta.

CHEIROS

- Olá!
Quem é você?

- Oi. Eu sou o João...

- Desculpe.
Você não é o João...
João é apenas um nome que deram para você usar...
Quem é você?

- Ah, sim...
Então...
Sou o filho de Dona Maria, chamado João...

- Desculpe de novo.
Não perguntei a você de quem era filho...
Quem é você?

- Ora...
Eu sou...

Já reparou que temos por hábito ir buscar referências para tudo que se apresenta diante de nós?

Isso somente acontece porque não estamos presentes!

Grande parte do nosso tempo é vivida no passado, “lembrando” que nos deram tal nome, que nascemos de...

Ou no futuro, “sonhando” como seríamos felizes se...

Nossa mente está tão mal acostumada que simplesmente não conseguimos ficar presentes por mais que algumas pequenas frações de segundos...

Não concorda?
Então...



Então pare de pensar por um momento!

- Parar de pensar? Como farei isso? Só se eu...

E lá vai a imaginação da gente viajando no tempo, buscando relações e experiências sabidas ou vividas para que, comparando-as com a situação...

Perceba que você não conseguiu parar de pensar, nem por um segundo!

Por quantas vezes entramos num carro ou ônibus e nos perdemos em pensamentos, imaginando o que teremos para fazer no escritório ou nos lembrando daquela discussão do café da manhã em que...

Quando “acordamos”, nos damos conta que já chegamos e...
Não temos a menor idéia de como foi o percurso percorrido!

É por essa “mania” que nossa mente tem de se deixar levar, que nos emocionamos com uma cena de novela ou trememos de medo com um filme de terror.

No fundo sabemos (e muito bem!) que os atores estão só “fazendo de conta” e que aquele sangue todo deve ser, provavelmente, molho de tomates - mas facilmente nos deixamos levar para fora da realidade pela imaginação, até as referências que temos de situações similares em nosso passado e, em resposta – apesar de sentados confortavelmente em uma poltrona – reagimos com lágrimas ou arrepios “reais”.

Não é fácil estarmos presentes o tempo todo. Mas é importante nos que esforcemos, ao menos um pouquinho, para estarmos AQUI & AGORA. Com o tempo, cada vez mais há de acontecer “lapsos” de consciência nos atentando que estivemos “ausentes”.

O que acha de, na sua próxima viagem de carro ou ônibus, tentar ficar “mais presente” e perceber um pouco melhor todo o percurso?

As pessoas.
As paisagens.
Os sons.
Os cheiros...

E por falar em cheiros, que tal deixar a imaginação levar você a uma série de memórias? Acredito que você é até capaz de sentir “realmente” alguns dos cheiros de...


Café fresco, coando
Toalhas ao sol, na janela
Feijão preto cozinhando
Lembranças do perfume dela

Um novo dia chegando
Passeio pelo mato, na serra
A tempestade se armando
As gotas da chuva molhando a terra

Banho bom, bem gostoso
Das roupas de baixo, a gaveta
Um frango assado: cheiroso!E para o bodum: careta!

A manta, por sobre a cadeira:
Espalha as memórias no ar
Um chá de erva cidreira
Uma brisa vinda do mar

O logo após do aparar da relva
Pipoca estourando na panela
O quente anoitecer na selva
Manjericão, cravo e canela

Lençóis limpos na cama
O amanhecer no campo, chegando
A saudade de quem se ama
Alguém por aí, caminhando

Cheiro de cor
Cheiro de flor
Cheiro bom de amor


Beijo ENORME

Leopoldo Pellico

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Empregabilidade: Às mudanças no perfil do profissional

O perfil do mercado profissional esta em transição e temos que compreender como essas mudanças afetam nosso cotidiano.

O mercado atual não necessita mais de mão-de-obra, o mercado precisa de talentos, a mão-de-obra foi substituída pela máquina, logo essa grande mudança exige um novo profissional, ou seja, o profissional empreendedor.

O profissional empreendedor é aquele comprometido com a empresa, não apenas com sua função, mas também com o crescimento e o sucesso da mesma, em contra partida as empresas estão mudando seu perfil, buscando trabalhar individualmente o talento e o sonho de seus funcionários.

É muito comum encontrarmos pessoas reclamando que não são valorizadas em seu trabalho, muitos chegam a trabalhar mal, alegando trabalhar conforme sua remuneração, mas é exatamente o contrário que deve acontecer. Se acha que pode chegar mais longe trabalhe muito melhor, assim alguém verá seu esforço, mas caso isso não ocorra prepare-se para voltar ao mercado.

Não delegue à empresa sua carreira profissional, afinal a especialidade dela não é a carreira dos funcionários, busque sempre novas oportunidades.

É importante identificar seus objetivos profissionais, buscando melhorar aquilo que você é forte e gerenciar o que é fraco, ser verdadeiro e realista é um passo importante para o sucesso.

Dica: Esse texto é apenas uma compilação de idéias que tive após assistir o programa Sem Censura, onde o consultor Waldez Ludwing, com sua língua afiada, expôs de forma muito dinâmica as mudanças que estão ocorrendo no mercado de trabalho. A reportagem pode ser assistida no You Tube, até a data de hoje já atingia mais de 45.000 acessos.

http://www.youtube.com/watch?v=_ixT4MSxjmE

Sucesso à todos!

Elaine Carvalho

domingo, 5 de abril de 2009

Música - 002

Contato!

Durante esse tempo que estive “ausente” tive a oportunidade de realizar uma boa pesquisa sonora. Fiz um trato, comigo mesmo, que ouviria o maior número de artistas possível para trazer novidades para esse blog, começando com o bom e velho rock. Cumpri o trato.

Nunca ouvi tanta merda na minha vida!

E merda muito bem enlatada: gravações excelentes, produções de primeira, com direito até a fusões de eletrônica com rock. Garotos quase todos iguais: rebeldes que cumprem moda! Personagens de comercial do Toddy: radicaaaaaaaaaaal!

Ouvi dizer uma vez que “rock é música de doido pra doido. É atitude. É o som que entra na toca do rato”. Fez sentido.

Quer ver mentira?! Vai no mypace e procura por bandas do gênero “ROCK”.

hehehehehe

 ----------

Como prometido vamos falar um pouco sobre o Macaco Bong.

É extremamente difícil encontrar uma música boa e não sair por ai divulgando até você perceber que todo mundo já conhece. Principalmente quando se trata de um grupo que está fora do mainstream. Essa é a minha experiência com o Macaco Bong, uma banda surgida em 2004, em Cuiabá-MT, e que em 2006 já era destaque dos principais festivais do circuito Fora do Eixo fazendo um rock experimental e INSTRUMENTAL.

Isso mesmo. Três rapazes de pouco mais de 20 anos fazendo música instrumental, no Brasil, fora do eixo Rio-SP, conseguem em pouco mais de dois anos de trabalho chamar a atenção de quase toda a mídia especializada em música e, em 2007, virar destaque de uma revista como a Rolling Stone Brasil.

Como se não fosse o bastante, os caras conseguiram se inserir em um grupo muuuuuuuito pequeno e seleto: o “Álbum Virtual” da Trama. Discos disponibilizados na net de graça, mas que geram algum tipo de renda para os artistas através de patrocínio. O formato, ainda embrionário, pode vir a se estabelecer como solução de um mercado “pós-gravadoras”, uma iniciativa muito bacana que iremos retomar em algum post pra frente. De qualquer modo, lá estão eles, ao lado de Tom Zé (pioneiro da iniciativa), Ed Motta (estrela do cast da Trama) e CSS (talvez a banda “indie” mais bem sucedida dos últimos anos).

Toda essa ladainha porque descrever o som que eles fazem é extremamente difícil. A primeira imagem que se forma ao ouvir o álbum “Artista Igual Pedreiro” é de 3 caras colocando em som tudo aquilo que vem as suas cabeças. Nada extraordinário ou genial a princípio, afinal, quem toca algum instrumento sabe que a coisa mais gostosa do mundo é entrar num estúdio e deixar o “som rolar”. O impressionante é a coerência e coragem com que eles fazem isso. Conforme o álbum rola, você vai percebendo que se trata de algo muito maior do que uma simples jam e acaba mergulhando em um som sem caminho certo. É um filme que você não faz a mínima idéia de como vai acabar.

 

Para saber mais:

http://www.rollingstone.com.br/edicoes/8/textos/70/

http://www.conexaovivo.com.br/noticias/macaco-bong

Para baixar:

http://albumvirtual.trama.uol.com.br/

 * Caso você conheça uma “boa banda desconhecida”, mande-nos o nome ou algum material. Qualquer outra sugestão, dica, crítica, nos procure!


Ainda em tempo:
Som de outro mundo...
... na verdade do outro lado dele: Tokyo Jihen.

  

Mullinari___________
04 17 18 25 83 99 !!

sábado, 4 de abril de 2009

O que diriam os Grandes Pensadores sobre a Mentira?!?


Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.

Friedrich Nietzsche



É difícil perder-se. É tão difícil que provavelmente arrumarei depressa um modo de me achar, mesmo que achar-me seja de novo a mentira de que vivo.

Clarice Lispector

As pessoas que falam muito, mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades.

Millôr Fernandes




A mentira é muita vez tão involuntária como a respiração.

Machado de Assis

quarta-feira, 1 de abril de 2009

É tudo verdade

É verdade que mentimos por amor, com a intenção de não magoar?

Veríssimo, diz que sim. Não necessariamente concordando mas satirizando em uma de suas obras As Mentiras que os Homens Contam.

Me arrisco a pensar e dizer. É tudo verdade.

Hitler disse uma verdade sobre a mentira (permitam-me brincar deliciosamente com essas palavras):

“Quando mentir, faça de tal forma que até você acredite que é verdade.” Hi, Hitler!

Será que alguém ai do outro lado já fez isso? É bom que não esteja acompanhado, vai que a pessoa ao lado perceba em seu olhar a confirmação de tal verdade.

Bom. Deixemos os conceitos do passado, vamos celebrar o dia 1º de abril com as nossas verdades de mentira e as mentiras de verdade. Ops! Alguém ai disse que não mente? Tudo bem nós não vamos abrir nenhum processo inquisidor e jogá-lo na fogueira.

Agora nesse 1º de Abril deixo vocês com a música de Nando Reis e Marisa Monte.

Tudo Pela Metade!

Eu admiro o que não presta
Eu escravizo quem eu gosto
Eu não entendo.
Eu trago o lixo para dentro
Eu abro a porta para estranhos
Eu cumprimento.
Eu quero aquilo que não tenho
Eu tenho tanto a fazer
Eu faço tudo pela metade.
Eu não não percebo.
Eu falo muito palavrão.
Eu falo muito mal.
Eu falo muito mesmo.
Eu falo sem saber o que estou falando.
Eu falo muito bem.
Eu MINTO
Até a próxima.
Luca Neves.